quinta-feira, 9 de abril de 2009

Para discutir o machocentrismo

Caros correlegionários,

continuando minha incessante divulgação de idéias e de boa literatura, envio-lhes um link para um clipe do livro "Prostitutas, Bruxas e Donas de Casa - Notícias do Éden e do Calvário feminino" do escritor Ezio Flávio Bazzo, o mesmo do post anterior, e que serve, o clipe, para criarmos aquele movimento gostoso (vixe!) que chamamos comumente de "indagar". Espero uma participação em massa, pois é um video realmente muito bom!
Abraços.

o Link: http://www.youtube.com/watch?v=NfowA_rEAu4

Tiago Araújo

3 comentários:

Tarcísio Hayashi disse...

Bicho, acabei de ver o vídeo.

Com meus parcos conchecimentos literários, sinceramente, fiquei confuso. Não entendi muito bem a parada. Em alguns momentos o autor ataca o machocentrismo com ironias e em outras partes ele dá "dicas" ou "lições" para as mulheres se libertarem deste machocentrismo?

De qualquer maneira tem coisas bem legais aí. O cara mexe com alguns dogmas dos machões de plantão (e não de pintão hein!)

Agora sexo é sexo e é bom quando duas pessoas estão na mesma sintonia. Não quero dizer que tenha que haver um relacionamento e tal. Tem que ter a mesma vontade, o mesmo desejo.

Quando isso acontece, pode rolar qualquer "centrismo", porque as duas pessoas estão curtindo a parada. Acho que não tem muita regra não, do tipo 'é o homem que manda' ou vice-versa. A coisa rola e vai pra onde tem que ir. LÁ ELE!

Claudemir "Dark'ney" Santos disse...

Vocês andam meio estranhos, garotos. Eu, hein! Lá, vocês!

Tiago Araújo disse...

É mermo, é mermo, as críticas são bem dúbias mermo, mas é uma parada meio irriquietante pois, enquanto objeto literário, a idéia, geralmente, corre mais no sentido de confundir do que de explicar, eu também fiquei confuso, principalmente nas partes em que põe a mulher submissa (talvez a leitura do livro todo resolva isso; eu tenho, se quiser empresto), como objeto (ou seria abjeto?), uma espécie de revolta ao centrismo feminino com cara de manual holístico do sexo... sei lá, é o que me parece.
Concordo com o lance da afinidade sexual, até mesmo porquê concordo com a idéia da energia sexual, presa nos conteiners sociais e dogmáticos - na verdade, acho que o Ezio tá mais pra essa linha atindogmática.. -, pois há a dissociação das relações sexuais e amorosas, mesmo em casais de longa data, aliás, nesses a coisa é bem mais dissociada..

é isso, eu acho.